SARAVÁ PAI OGUM!

ogum

As nuvens se afastam dando passagem para o raio de energia que corta o ar vindo do espaço. Ao tocar nossa atmosfera, se espalha em milhões de fagulhas invisíveis que pouco a pouco vão caindo como chuva, desintegrando partículas deletérias, quebrando correntes maléficas, como se houvessem inúmeras espadas e lanças que volitam em toda parte.
Assim, filho de Umbanda tem de acreditar, vibrando na cadência da Fé, porque vive no dia a dia os pequenos e grandes milagres que o conduzem em segurança pela vida. Não lhe diminuíram as intempéries advindas de sua reconstrução interior, da superação e da autoeducação, mas a Fé lhe impulsiona para frente, lhe dando ânimo, confiança, certeza mesmo que cada dia com seus momentos bons ou menos bons, tem que ser vivido em plenitude, pois a plenitude da vida não está no ontem, ou no amanhã, mas no hoje.

Seja na noite sombria da alma, seja nos momentos de construção de sonhos, seja na manutenção dos sentimentos, seja na superação das próprias falhas, seja na conjugação de forças para construir caminhos duradouros, seja no enfrentamento de batalhas exteriores, e as mais aguerridas, que são as batalhas interiores, ale deve estar a Fé, Força, a certeza que ao redor uma multidão de energias vibrantes poderão ser enviadas a seu favor, porque vestiste a armadura de combatente nesta Terra Fria.

Porque na sua crença, você sabe que a Natureza se manifesta incessantemente, transmutando miríades de cores, de sons, se sensações, em uníssono perfeito com o Universo, e você, faz parte disso tudo.

Cada um, sintonizando com este diapasão divino, sentindo como se fosse uma partícula de tudo o que permeia a Terra, sente-se fazendo parte do todo, e nessa harmonia agradece com todas as Forças do seu Ser, pelo momento, pela oportunidade, pela esperança, e mesmo a certeza que não está fora do contexto, mas sim participante de tudo, absolutamente tudo que acontece aqui, e agora.

Assim, o entendimento vai se ampliando, e compreendemos que em cada momento que o zênite reflete o movimento do planeta, vibra esta energia, e para nós, umbandistas, é o momento de nos harmonizarmos com os falangeiros desta energia.

E agora, neste tempo, somos envolvidos pela Força e pela Luz de Ogum, e percebemos que ele nos conduz quando os passos estão cansados, quando a têmpera está arrefecida, e é a Força de Ogum cortando o espaço astral e terreno nos mantendo em pé, com passos firmes, vontade resoluta, seja para o que for, seja para o que virá.

Então, se eu me ajoelho é para render homenagem a Ogum, não abatido pelo peso das intempéries, mas em dedicação e agradecimento pelo diário fortalecimento interior, por ser envolvido pela energia combativa contra tudo o que ameaça a determinação interna de auto-superação.

Salve, senhor Ogum, Salve a sua vibração, Salve os seus caboclos e caboclas, seus soldados do Bem, pelo Bem e para o Bem.
Salve o Bom Combate, e que sejamos capazes de nos imantar em sua Vibração Superior, sob a Ação Suprema de Zambi.

Ogunhê! Ogunhê! Ogunhê!

 

Alex de Oxóssi

Rio Bonito – RJ

Sobre Administrador

Eu tento fazer a minha parte para poder divulgar a minha Religião.
Esse post foi publicado em UMBANDA. Bookmark o link permanente.