A UMBANDA E AS DROGAS

No início, tudo parece fogos de artifício, dia de festa, brilho, sagacidade, facilidades, satisfação, prazer sem fim, bem estar………..Na verdade, entretanto, trata-se de um fogo fatal. Parece uma brincadeira, em meio a amigos, um instrumento sociabilizante, mas é um jogo mortal. Iludem-se quem pensa estar no comando, as cartas na verdade, são marcadas, estão nas mãos dos Senhores da Destruição.

Não se pode minimizar, as drogas estão matando e fazendo matar mais do que nunca. É arma nefanda, utilizada com objetivo preciso, com resultados inesperados e de longo alcance. A droga pesada quando entra em uma casa, não destrói uma pessoa, mas uma família. Remove aos poucos a vontade do usuário. O coloca à mercê de agentes do Mal, que são manipulados por forças obscuras, que não querem saber de Progresso, nem de resgate, se regozijam com a escuridão, ignorância, maldade, falta de sentimentos.

Aí está a chave, retirar do humano o que é mais humano: seu sentimento, sua capacidade de discernir o bem, o mal, perceber limites, considerar excessos. Sem capacidade de sentir, o ser humano se torna um autômato, não diferencia o que é bom para si, não desenha sonhos, não anseia por subir os degraus da evolução. O homem que não sente, é o mesmo que estar morto, só que ainda está ocupando um espaço, provavelmente incomodando muita gente, consumindo alimentos, roupas, espaço, num modus vivendi terrivelmente egoísta, pois assim como perde a conexão de sentir, desconecta-se consigo mesmo e com o outro, mergulhado apenas numa tentativa de anestesiar alguma dor que não conseguiu superar, iludindo-se que através da droga, vai ter coragem para atingir aquela posição que no seu normal acha não ter capacidade, desintegrar um medo dentro de si, de sua solidão, de sua falta de objetivos, enfim, a droga é um problema que se iniciou como tentativa de solução de algo profundo, mal resolvido, uma rota errada para alguém que já estava sem norte, e sem quem o norteasse.

Vejamos as drogas conhecidas :

Anabolizante: Conjunto das reações químicas que levam à formação de tecido vivo a partir dos nutrientes, que levam ao aumento de peso e das forças (mineralocorticóides, testosterona, eritropoeitina, GH

Coca=cocaína: Alcalóide extraído das folhas da coca. Anestésico local e excitante do sistema nervoso central, cujo uso prolongado conduz a uma toxicomania grave (também são alcalóides : nicotina, morfina, ergotina,etc.)
Entorpecente: Droga que faz o corpo negar qualquer sensibilidade ( álcool, anfetaminas, cafeína, cocaína, cogumelos, crack, ecstasy, inalantes, LSD, Maconha, Opio)

Enfim, é matéria, e matéria pesada, que no astral é feito uma substância amorfa e aderente, que se espalha extensivamente ao redor, tudo contaminando, com uma capacidade de impregnação profunda e difícil limpeza. Ao ser ingerida, inalada ou injetada, a contraparte etérea da droga, além dos conhecidos efeitos deletérios sobre o corpo físico, se espalha como uma teia por todas as conexões energéticas, penetra em todos os chacras, ativando-os grotescamente, em especial o chacra genésico, atuando então sobre a vida sexual da pessoa, levando-as a novos erros e desacertos, e deformando profundamente este vórtice, por séculos afora. Também atua no chacra cardíaco, anulando os sentimentos como já comentado, no laríngeo, de onde deturpa a qualidade da fala, de modo que sua conversa passa a ser grosseira e agressiva e chega ao chacra coronário, onde ocorrem os mais terríveis desatinos, escancarando os portais íntimos aos mais terríveis obssessores e vampiros. A corrosão causada pela energia etérea da droga pode ser comparada a reações de contaminação atômica. Não admira que tantos crimes são cometidos em seu nome.

Estamos falando de drogas pesadas, que causam dependência, e o vício causado por essas, é dificílimo de ser erradicado apenas pela força da vontade. É necessária muita força interior, e a presença de alguém que lhe sustente com seu Amor, Carinho e Saúde, para dissipar as trevas interiores. Frequentemente não é nesse mundo que se consegue esta força, e ela vem do Mundo Espiritual, mediante o pedido de Fé incondicional daqueles que ao viciado estão ligados. Através de orações, e a Esperança que as Forças Maiores irão socorrer. E sempre que um pedido é feito com o coração, de algum modo ele será visto pelos espíritos protetores e o auxílio virá de diferentes formas, às vezes por momentos de susto e dor, mas que estarão prevenindo mal maior, através do despertamento e fortalecimento pessoal. Lembramos o livro “Nosso Lar”, quando espíritos abnegados, trabalham no Amor e na Caridade, acumulando “bônus horas”, que poderão ser utilizados no auxílio daqueles que ainda não conseguiram merecimento, e essa é uma mostra da grandiosidade do Amor, transformado em moeda abstrata, mas salvadora, daqueles que se perderam, ou estão prestes a se perder.

Situação muitíssimo mais difícil se encontra, quem é o mercador e aliciador das drogas. Sendo ou não usuário está, com seus atos destrutivos, causando uma deteriorização progressiva de sua estrutura perispiritual, está causando uma corrosão em seu duplo etéreo, em cada grama que vende, seja do que for. É instrumento e ao mesmo tempo o mais inferior dos escravos, pois se tornou de outras vidas, marionete dos Senhores da Destruição, com resgate pelos Emissários da Luz, muitíssimo mais difícil. Neles a Lei foi ultrapassada, e sendo assim, as portas da redenção vão se fechando, até o ponto de desintegração dos chacras, que são os pontos de conexão com o perispírito/duplo etéreo, chegando a não forma, mas não se trata da “Não Forma “ do Zen Budismo, que explica o movimento constante, a Luz se transformando na Escuridão, o Positivo no Negativo, ao se esgotar um movimento no seu limite, se inicia outro. Sim, o movimento irá se reiniciar, mas estes seres geraram a inércia do Nada, de serem nada, perderam o corpo perispiritual, e quando saírem do corpo carnal, não mais poderão pensar, optar, nada de livre arbítrio, apenas ficar a mercê de algozes pelos séculos afora, enquanto tiverem dívidas com a Humanidade terrena.

Os Senhores da Destruição são instrumentos que forçam a superação do homem, desafiam a sua Humanidade quando ele está à margem da Angelitude. São aqueles que estavam no deserto quando Jesus nele se deixou ficar por 40 dias, são agentes indiretos do Progresso, são o Limite oposto a toda Luz e Construção. Aquele que os defrontam sem estar preparado dificilmente sairá ileso.

Não podemos dizer que as drogas sejam um mal necessário, mas sem dúvida um instrumento de DOR compulsória do espírito, ou daqueles envolvidos paralelamente no processo. Nosso planeta já poderia estar livre deste flagelo, se cada um conseguisse olhar para dentro de si, assumisse a roupagem a si atribuída na presente encarnação, observasse seus defeitos e os superasse, aprimorando as qualidades, detectasse as imperfeições de caráter ou elas fossem corrigidas pelas asas amorosas de um coração materno, uma presença paterna, ainda na sua formação. Que os valores materiais fossem minimizados, enquanto maximizados fossem a luz da compreensão, aprendizado, resignação. Que a Felicidade voltasse a ser considerada possível nesse Mundo, nos momentos de Paz interior, de comunhão de Almas, de valor no trabalho verdadeiro e profícuo. Que a inércia, preguiça, maledicência, injúria, inveja e indiferença fossem substituídas pela operosidade, reflexão, perdão, generosidade e Amor. Que cada um, conhecendo-se, pudesse se bastar, sem precisar sair de si para ter serenidade, equilíbrio e bem estar. Que se relacionasse com aqueles ao redor sem atritos, sem sentimentos de inferioridade, ou sensação de supremacia. Que se achasse apenas um filho do Mundo, em missão temporária de aprendizado e serviço. Não precisaria de bens excessivos, nem de necessidade de auto-afirmação, nem ilusões de futuros incertos, nem lamentos de passados que não se modificam. Estaria de pé, dia após dia, movido pelos seus objetivos, suas crenças, seus sentimentos, sem tempo a perder, nem perder-se.

Na Umbanda, são utilizados o fumo e o álcool, mas todo filho de banda sabe que os guias deles se utilizam para obter a força etérea do vegetal, para aplicá-la nos desmanches, nas mandingas, na condução dos seus trabalhos no Bem e na Caridade. A fumaça destrói e afasta larvas astrais e o álcool saneia a ambiência perispiritual do consulente dos objetos do terreiro. Não se abre uma gira sem a queima das ervas de defumação, porque na Umbanda se respeita seus fundamentos. E os índigenas que utilizam ervas alucinógenas, assim com alguns ritos do catimbó, seguem fundamentos sagrados que de forma alguma criarão deteriorização da pessoa, ou causarão dependência. Aquele que for ao terreiro de Umbanda para abusar do álcool e fumo, quando este é permitido, pois os caciques em geral inibem imediatamente qualquer excesso, mas se ainda assim exibem uma atitude exagerada, mostrando alteração, está errando e possivelmente mistificando. A entidade utiliza o álcool tendo cuidado de preservar a capacidade do médium, e ao voltar em Terra, ele nada sentirá dos efeitos do mesmo. Os espíritos que baixarem num terreiro exigindo cachaça e outros estupefaciantes, como maconha por exemplo, como alegam alguns que o façam as entidades da falange do Senhor Zé Pilintra, não são espíritos sérios, nem o serão os seus médiuns se forem iludidos. Estarão, entidade e médium errando e se complicando, pois nada se faz sob a vibração de excessos, estarão ainda desarmonizando a ambiência da gira. A maconha, sob a lei dos homens e na espiritualidade, é proibida, e a Umbanda é uma religião , e uma religião cuida da moral, da retidão e da consciência , no respeito à Lei de Ação e Reação.

Pode ocorrer que o médium se superestime, achando que seus guias o protegerão em quaisquer circunstâncias, e mesmo sendo usuário de álcool, fumo e drogas em excesso, mesmo não sendo disciplinado, alimentando-se de carne vermelha, não respeitando as horas de abstenção sexual, enfim, fiando-se que toda e qualquer indisciplina será superada pela força dos seus guias, poderão de uma hora para outra por eles ser abandonado, perdendo o mediunato, perdendo as forças protetoras, e achar-se no meio de um grande vazio, e o pior, sob a regência das substâncias que o estão escravizando. Sua vida mediúnica será senão destruída, totalmente desarmonizada, e terá muito a resgatar, antes de tudo sua integridade e disciplina, sua humildade e sua Fé, voltando, se disporem, a um doloroso retorno.

De outro modo, há médiuns com intensa dedicação, que são trabalhadores incansáveis e de uma generosidade ímpar, com grande amor à Humanidade e seu coração é cheio de compaixão. Mas infelizmente, acham-se prisioneiros de algum vício. Neste caso, seus guias o protegerão ao máximo, e trilharão com ele enquanto o mesmo estiver na senda do serviço ao próximo, independente do carma que o mesmo estiver gerando para si. Provavelmente encontrarão em algum momento da vida, alguém que possa auxiliá-lo, já que muitas vezes não se sai sozinho de um vício. Estamos aqui para observar, aprender, discernir, nunca para julgar, atacar ou pregar falsa moral.

No Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, na questão 793, já podíamos observar: “Credes que estais muito adiantados porque tendes feito grandes descobertas e obtido maravilhosas invenções; porque vos alojas e vestis melhor do que os selvagens. Todavia, não tereis verdadeiramente o direito de dizer-vos civilizados, senão quando de vossa sociedade houverdes banido os vícios que a desonram e puderdes viver entre vós, como irmãos, praticando a caridade cristã. Até lá, sereis apenas povos esclarecidos, não tendo percorrido senão a primeira fase da civilização”.

O espírito André Luiz, no livro “Nos Domínios da Mediunidade”, psicografado pelo inesquecível Chico Xavier, alerta para os perigos da vampirização, pois uma vez que estamos sempre acompanhados, substâncias como fumo e álcool atrairão desencarnados com estas afinidades, que certamente aproveitarão e absorverão não só os eflúvios tóxicos como o ectoplasma do usuário. O que por certo atrapalha e muito, o desempenho de um médium, principalmente se for médium de terreiro de Umbanda, onde por si já é exigido um grau de doação ectoplasmática.

É importante ressaltar que os médiuns com problemas de dependência, precisarão de cuidados médicos, mas principalmente de cuidados espirituais, pois serão vítimas fáceis de obssessores, perseguidores, estarão fragilizados e necessitarão de grande proteção.

Se formos deixar os nossos queridos pretos velhos falarem a respeito, eles apenas falam que todos os séculos de cativeiro que sofreram nada significam se forem comparados àqueles a que são condenados ao cativeiro das drogas. Toda a dor, suplícios, troncos, fome, sede e frio, isto tudo ocorreu em um tempo pequeno, se comparado ao resgate deste tipo de flagelo.

Pensando nisso tudo, nesse momento, curvamo-nos aos pés de nossos Orixás. Pedimos aqueles que representam as Forças Maiores da realidade Cósmica, que velem cada filho desta Terra, seja ele ou não adepto das verdades da Vida Maior, acreditando ou não na Teoria das vidas sucessivas, na Lei da Reencarnação. Que possamos ser humildes instrumentos para minimizar as manchas que ainda turvam o Progresso da Vida terrestre. Que de alguma forma, mínima que for, estejamos conscientes das correntes energéticas que nos circundam e que possamos identificá-las, filtrando e usufruindo apenas aquilo que nos conduzir ao Bem e à Verdade. Que tenhamos discernimento, paciência, senso de justiça, operosidade, disposição para o Bem, seriedade sem perder a alegria e ação baseada na Fé raciocinada, estudo constante e um caminho reto no coração. Que as Sombras sejam afastadas, a Dor superada, e que tenhamos Força sempre para construir e reconstruir os caminhos. Que reconheçamos aqueles que estão conosco nesta caminhada, aqueles que nos acompanham e nos acompanharão pelos tempos incontáveis, tenhamos cuidado com aqueles que amamos, e respeito quando nos testarem, como instrumentos de Forças Redentoras. Que possamos sentir os Orixás e os seus emissários próximos a nós, sua Força reverberando em nossas almas, e guiados por sua Luz, sigamos construindo nossos caminhos, resgatando nossos carmas sem acumular outras dívidas, e, além disso, estendermos a mão para auxiliar a caminhada de quem está ao lado, de forma desassombrada, porque movidos pela Esperança e pela Fé.


PELO ESPIRITO PHILLERMON – TRANSCRITO PELO MÉDIUM ALEX DE OXÓSSI

Sobre Administrador

Eu tento fazer a minha parte para poder divulgar a minha Religião.
Esse post foi publicado em UMBANDA e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.