Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa – 21/01 – Cinelândia

Religiosos expõem suas tradições na Praça da Cinelândia, inauguram Núcleo da Polícia Civil e lançam dossiê.

O Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa (21/01) será marcado por inauguração de Núcleo de Atendimento às Vítimas de Intolerância Religiosa (Polícia Civil do Rio de Janeiro) e lançamento do primeiro estudo
científico das vítimas atendidas pela CCIR – Comissão de Combate à Intolerância Religiosa.

Programação:


DATA: 21/01/2010 (Quinta-feira)

Tendas temáticas de cada segmento membro da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa


HORA:
A partir das 10hs até às 19hs.
LOCAL: Praça da Cinelândia – em frente à Câmara Municipal

Inauguração do Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa da Polícia Civil


HORA:
10hs
LOCAL:
Prédio da antiga Polinter – R. Silvino Montenegro, 01 – 4º andar – sala 11 – Gamboa

Lançamento do dossiê da Intolerância Religiosa produzido pelo Núcleo Fluminense de Estudos e Pesquisas da UFF

HORA:
14:30H
LOCAL: Sindicato dos Jornalistas – R. Evaristo da Veiga, 16 – 17º andar – Centro

Apresentações culturais – danças, cânticos e manifestações religiosas

HORA: 16h
LOCAL: Praça da Cinelândia – em frente à Câmara Municipal


Para marcar o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa (*) a Comissão de Combate à Intolerância (CCIR) promove extensa programação de atividades que garantem a prática da Liberdade de Expressão Religiosa no Rio de Janeiro. Adolescentes e crianças dos mais diversos segmentos étnicos e religiosos (muçulmanos, judeus, umbandistas, católicos, ciganos, candomblecistas, devotos de Krishna e evangélicos) estarão desde às 10hs, na Praça da Cinelândia, explicando e divulgando suas práticas religiosas em tendas temáticas. O Movimento Jovens pela Liberdade Religiosa, criado pela CCIR, pretende demonstrar que crianças e adolescentes formam a base sagrada de todas as religiões. Simultaneamente, haverá a inauguração do primeiro Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa da Polícia Civil do Rio de Janeiro.


Exposição Temática: 10 tendas, com jovens e crianças religiosas – utilizando vestimentas e paramentas de suas respectivas tradições – estarão durante todo dia na Cinelândia. Além de receberem explicações sobre dogmas e doutrinas das mais diversas tradições, o visitante poderá ter acesso a livros sagrados, ouvir cânticos e assistir a DVDs. Alguns exemplares de livros e panfletos serão distribuídos gratuitamente;

Inauguração do Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa:
Uma grande conquista dos religiosos, já que todos os registros envolvendo a Lei 7716/89 (Lei Caó) poderão ser monitorados e os procedimentos acompanhados. À frente dos trabalhos, o delegado Henrique Pessoa. O Núcleo não fará registros de ocorrências, mas vai acompanhar e orientar policiais e vítimas quanto aos procedimentos;


Lançamento do Dossiê da Intolerância Religiosa: Primeiro estudo científico realizado a partir dos casos atendidos pela CCIR, uma experiência inédita no país pela garantia de direitos civis. O dossiê, coordenado por doutores em Antropologia da UFF – ligados ao Núcleo Fluminense de Estudos e Pesquisas – envolve sociólogos, antropólogos e historiadores e servirá como base para o Relatório da Intolerância (estudo mais aprofundado do trabalho da Comissão) a ser lançado em março e distribuído para as instituições que lidam com políticas de Direitos Humanos nas esferas municipal, estadual, federal e internacional. A escolha do Sindicato dos Jornalistas para o lançamento é uma forma de chamar atenção da sociedade para a importância dos profissionais da imprensa na conquista da liberdade religiosa;

Manifestações Culturais e Religiosas:
A partir das 16h, a Cinelândia será tomada por danças israele e cigana, mantras, cânticos árabes, toque de atabaques, corais gospel e da Umbanda e muito respeito pelas diferenças. A juventude judaica prepara uma dinâmica de grupo – em que todos poderão participar – para lembrar que a intolerância religiosa foi o estopim da Segunda Guerra Mundial. Sheik, Rabino, Pastor, Padre, Sacerdotes da Umbanda, do Candomblé e Hare Krishna farão bençãos religiosas separadamente. Ao final, uma grande saudação ao Deus Único e Universa l reunirá todos em uma grande oração pela paz e liberdade.

(*) O Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa foi instituído pela Lei Federal 11.065/07 para lembrar a data de morte da iyalorixá (sacerdotisa do candomblé) Gilda do Ogun, em 2000. Mãe Gilda foi acometida por um infarto fulminante ao ver sua foto estampada na capa da Folha Universal com o título de “Macumbeiros charlatões enganam fiéis”. A IURD foi condenada em última instância a indenizar os herdeiros da sacerdotisa.

Mais informações:
Tel: (21).22327077 Edilene Tavares
(21) 22733974 Jorge Mattoso

Enviado ao Grupo Povo de Aruanda por Etiene Sales

Sobre Administrador

Eu tento fazer a minha parte para poder divulgar a minha Religião.
Esse post foi publicado em UMBANDA. Bookmark o link permanente.