Flor Mediúnica

paysages3d-16

Mediunidade é o trabalho do desapego, o trabalho feito com o coração no Todo, um reto-agir…

Mediunidade é darma em ação, resgatando carmas antigos e fazendo novas flores desabrocharem na atmosfera física e espiritual do mundo…

Mediunidade é oportunidade de evoluir acima de tudo, trabalho de assistência e autoconhecimento íntimo e espiritual. Mediunidade é uma porta aberta para o congraçamento entre irmãos, nessa grande jornada espiritual que é a Vida…

Mas Mediunidade não é culto desmedido as entidades espirituais, tampouco a negação das capacidades do ser pessoal (anímico). Em verdade, Mediunidade é um processo de mão-dupla, um processo anímico-mediúnico ou medianímico, onde a consciência encarnada dá as mãos a uma consciência desencarnada e AMBAS, JUNTAS, trabalham, sorriem, amam e aprendem mutuamente. Uma não é melhor que a outra, são simplesmente amigos, se completam.

A supervalorização da comunicação espiritual, do fenômeno e do trabalho mediúnico é uma barreira para o desenvolvimento das capacidades anímicas. Uma não substitui a outra, mas sim, se co-relacionam e completam-se integralmente.

Antes do desenvolvimento das capacidades mediúnicas, que tal o desenvolvimento pessoal, interno, da própria consciência. Essa será a base firme e amorosa que qualquer entidade comunicante poderá utilizar-se para um sadio e criativo contato mediúnico.

Vocês todos são o elo material da corrente. Como anda esse elo?

Não falamos de tolos moralismos, falamos de serenidade ao viver. Falamos de uma consciência com sintonia contínua com a espiritualidade superior, aberta as idéias de luz que brotam do mais alto. Pessoas tocadas pela grande mão de amor do Pai-Mãe de Tudo.

Percebam, observem mais. Um trabalho mediúnico antes de auxiliar o próximo, deve auxiliar vós mesmos. Deve ser capaz de abrir sua consciência, expandir seus horizontes, melhorar seus sentimentos mais nobres e equilibrar suas densas emoções. Um trabalho mediúnico deve ser também um trabalho de auto-conhecimento e auto-realização. Uma ferramenta, muito útil e valorosa, na grande jornada da Vida.

Caso contrário ela não florescerá, não te trará bem-aventurança, não se instalará em seu coração. Caso contrário, com o tempo, o brilho nos olhos diminuirá e não mais a Mediunidade exercerá seu brilho atrativo sobre você. Por fim, quando a hora do desencarne chegar, poucas portas você terá aberto, não aproveitando a oportunidade-semente que Deus te deu. Medite nisso!

Cuidado também com o ego de Médium. O ego de Médium não é, como dizem por aí, a vaidade de si mesmo como pessoa. O ego de Médium não se manifesta como uma auto-valorização de si mesmo, mas sim, da manifestação mediúnica. A sombra do ego é sorrateira, disfarçando-se sobre a pseudo-humildade de quem se diz apenas instrumento, mas no seu íntimo julga-se o grande e insubstituível instrumento. Esse é o ego de Médium. O ego de ser o melhor canalizador de todos, disfarçado em falsa humildade. O ego de julgar seus guias os melhores. Aquele ego que sempre encontramos nos julgadores, naqueles que sempre olham a comunicação mediúnica dos outros com o rabo dos olhos, contrariados, desconfiados, não por discernimento, mas por pura armadilha do ego. Esquecem que uma comunicação mediúnica deve ser sentida com o coração e discernida com os olhos da alma. Cuidar do argueiro nos olhos do outro sem olhar o entrave no seu, já dizia Jesus.

Também não se deve cair na desvalorização tola do próprio eu. Como dito acima, muitas vezes isso é uma armadilha do ego, principalmente no caso da Mediunidade, onde normalmente desvaloriza-se o eu (anímico) para supervalorizar o espiritual (mediúnico), com a falsa desculpa da humildade. Meio termo e equilíbrio na senda.
Anímico e espiritual. Você e seus amigos extrafísicos juntos, de mãos dadas, sorrindo e trabalhando. Construindo firmes atmosferas de luz nesse planeta, tão engolido pelas brumas da ilusão e da treva. Caso vocês acertem, o mérito é de TODOS. Caso vocês errem, o erro também é de TODOS. Assim a Mediunidade pode desenvolver-se de forma mais equilibrada. A responsabilidade é de TODAS as consciências que estão envolvidas no processo. Caso contrário, algo está errado, algum lado está sendo super valorizado.

Por último, pense bem quais são seus objetivos na senda mediúnica. Existem pessoas que buscam “poderes”, outros que buscam resolver todos seus problemas materiais.
Outros ainda querem apenas o título de médiuns, como um alto grau na hierarquia espiritual. Mas a Mediunidade não tem nada disso a te oferecer, a não ser a bem-aventurança interna que se instala no céu estrelado do seu coração, apenas por poder ser útil à existência. Pense nisso!

Trabalho desapegado, transformação interna,

Frutos lindos e belos da Mediunidade.

Tocar as estrelas, irmanados nas ondas da compaixão…

E de mãos dadas, com seus amigos espirituais,

Voar sobre a densa mata de brumas e mistérios da morte.

Ser flecha de luz

A trespassar e a levar o brilho do espírito

Para todos os lugares.

Sê luz, trabalhar com a Luz!

Sê coração, trabalhar com Amor!

Sê Deus, Trabalhar tocado por Deus…

Quando a sintonia acontece, o milagre surge

E a tristeza e a saudade desaparecem.

O Consolador brilha e sorri, bem-humorado,

Enquanto os Orixás dançam festivos;

Krishna toca sua flauta doce,

Fazendo Buda florescer no horizonte!

Fusão de egrégoras e almas;

Fusão de idéias e sentimentos;
Fusão de Energia!

O mundo não vê, mas o firmamento abençoa,

As reuniões onde as almas se fundem

E de Luz enchem a Terra…

Se todos somos UM

E o TODO está em TUDO

Quem fala para quem?

Quem escreve o quê?

O que é mais importante:

O mensageiro ou a mensagem?

Sim, a flor da Mediunidade é isso,

É poesia e canção…

Distante do julgamento tolo dos olhos raivosos

E imaturos pela mera competição.

Distante do ego sombrio, e da falsa humildade

Que tanto envolve na confusa ilusão.

Mas, tão perto do Eu,

Tão perto… Bem aqui, entre Eu e Você…

Lá está Ela, a Flor Mediúnica!

A ponte de luz que nos liga em espírito…

A nau dourada que desliza sobre o oceano da imortalidade…

Levanta a cabeça e contempla a imensidão.

Trabalho sem apego,

Autoconhecimento e transformação.

O gongo do eterno bateu

E finalmente a Flor Mediúnica desabrochou

No nosso coração!

Mensagem recebida por Fernando Sepe inspirado por um espírito amigo, que sabe que pouco importa o mensageiro, mas sim a mensagem.

P.S.: Esse amigo espiritual ainda deixa uma dica as pessoas que estão desenvolvendo a Mediunidade:

“A Mediunidade é como um rio. Ela flui do coração do espírito comunicante até o coração do Médium. No caminho, o leito, formado por seus sentimentos e pensamentos.
Cuide desse leito, para que a água verta mais límpida possível.

Não tenha pressa, aproveite. O começo do desenvolvimento mediúnico é como a infância, moldará o resto de sua vida. Ele deve ser trilhado como um caminho de surpresas e descobertas. De celebração e alegria. Não se apresse você deixará passar despercebidas lindas flores que ornam o caminho. Também não force não se preocupe.
Siga o fluxo do rio. Do coração do guia ao seu coração. Não tem segredo… As palavras básicas são: fluidez, intuição e serenidade…

Lembrem-se: cada um com seu tempo! Assim como o desabrochar daquela rosa é momento único na criação, e nunca mais se repetirá, assim é com a sua Mediunidade. É como uma flor que desabrochará no momento certo. Regue-a, cultive-a. Quando o momento chegar, os Anjos cantarão. Até lá, “curta seu próprio desenvolvimento e melhore como pessoa…”

P.S. (II): Finalizando esses escritos sobre Mediunidade e auto-realização, deixo um belíssimo texto sobre a jornada da vida, escrita por Sri Aurobindo, retirado do clássico: A Sabedoria de Sri Aurobindo – Edt. Shakti.

“Quando tivermos passado além dos conhecimentos, então teremos o Conhecimento;
a Razão foi o auxílio, a Razão é o entrave.

Quando tivermos passado além do querer, então teremos o Poder;
o Esforço foi o auxílio, o Esforço é o entrave.

Quando tivermos passado além dos prazeres, então teremos a felicidade;
o Desejo foi o auxílio, o Desejo é o entrave.

Quando tivermos passado além da indivualização, então seremos pessoas reais;
o Ego foi o auxílio, o Ego é o entrave.

Quando tivermos passado além da humanidade, então seremos o Homem;
o Animal foi o auxílio, o Animal é o entrave.

Então…

Transforma tua razão em intuição ordenada;
que tudo em ti seja luz. Este é teu alvo.

Transforma teu esforço em um conhecimento igual e soberano da força da alma;
que tudo em ti seja força consciente. Este é teu alvo.

Transforma teu prazer em êxtase igual e sem objetivo;
que tudo em ti seja felicidade. Este é teu alvo.

Transforma o indivíduo dividido na personalidade universal;
que tudo em ti seja divino. Este é teu alvo.

Transforma o animal no Pastor de rebanhos;
que tudo em ti seja Krishna (Cristo). Este é teu alvo.”

FERNANDO SEPE

Sobre Administrador

Eu tento fazer a minha parte para poder divulgar a minha Religião.
Esse post foi publicado em UMBANDA e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s