OBSESSÃO – PEQUENO ESTUDO

Amados irmãos,

muitos do grupo Povo de Aruanda podem achar que eu não leio os textos enviados neste grupo, mas estes estão completamente enganados, pois além de ler eu os guardo e abaixo é um texto enviado por nossa irmã Ângela Garcia ao Grupo Povo de Aruanda (Yahoo) que eu comecei a ler e como já venho a algum tempo juntando textos sobre obsessões e desobsessões e estudando esta matéria com afinco e muita atenção, eu fiz alguns comentários do que eu penso conhecer sobre o assunto, onde houver comentários meus estará na cor azul apenas para não confundir com o texto original enviado por nossa irmã.

Alex de Oxóssi

1 – Obsessão:

“É o domínio que alguns espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. Nunca é praticado senão por espíritos inferiores que procuram dominar” (Livro dos Médiuns, Cap. 23 item 237)

“É a ação persistente que um espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.” ( O Evangelho Segundo o Espiritismo – cap. 25, item 81)

A obsessão é e sempre foi um dos maiores problemas da humanidade. Difícil de ser tratada por esbarrar na dureza do coração humano. Tratada pela medicina como problema puramente físico, ainda não tem encontrado através dela, um meio de alívio para milhares de seres que sofrem sua ação. É para a ciência, em muitos casos, problema insolúvel, catalogado como resultado da hereditariedade, apesar de a maioria dos casos contestar esta afirmação.

A par com a medicina, a religião oficial vem dando a sua contribuição no âmbito do terror quando diz, que quem sofre um mal deste tipo está endemoniado, tendo que ser exorcizado, o que leva a maioria das pessoas a se afastarem delas por medo de ridículo ou incompreensão, preferindo apesar dos pesares continuar sua peregrinação através dos consultórios.

A Doutrina Espírita, única a dar uma explicação racional sobre o problema, tem se desdobrado através de trabalhadores incansáveis, no sentido de aliviar aqueles que sofrem desse mau, de maneira tranqüila e os trazendo de volta a uma vida saudável.

A obsessão só pode ser racionalmente explicada sob o prisma da Doutrina Espírita. É uma faceta do relacionamento humano, que continua a se fazer sentir entre os seres, embora já tenham desencarnado alguns e outros continuarem encarnados.

Este relacionamento se mantém devido as ligações boas ou más existentes entre as partes envolvidas que prendem uns aos outros, até que a justiça e o aprendizado inerente a este acontecimento esteja assimilado.

Jesus, como profundo conhecedor da psiquê humana e seus defeitos, deixou escrito o ensinamento que se obedecido livraria o homem desse mau.

“Perdoa, o teu inimigo enquanto estais em caminho com ele, para que ele não te leve a juiz e não te condene, pois se isso vir a acontecer, ficará preso até que pagues o último cetil.” (O Evangelho Segundo o Espiritismo) .

Nesta parábola ele nos dá o antídoto. O Amor é o caminho. O perdão, a paciência, tolerância, tudo o que leva as pessoas a um bom relacionamento. Não criando por isso motivos de represálias de ninguém.

Quando criarmos barreiras em nós mesmos, tirando do nosso coração o orgulho, a vaidade, o egoísmo, e vivenciarmos bem com todos em acordo com o evangelho, não existirão mais esses relacionamentos negativos e sim somente os positivos, onde todos serão amigos e ajudarão uns aos outros no caminho evolutivo.

Povo de Aruanda – muitos Umbandistas preferem afastar esses espíritos, esquecem de avisar as vitimas (se é que possamos assim chamá-los) que terão que seguir os estudos, orações e principalmente fazer uma grande reforma intima, quanto ao estudo realmente a Umbanda nos traz muito pouco ou quase nada a respeito deste assunto, então devemos beber na fonte da Doutrina espírita, que nos traduz os obsessores melhor sobre o assunto.

Interessante é perceber que muitos Pais, Mães no Santo ainda são arredios quanto ao uso da Doutrina espírita, daí trocam os pés pelas mãos, cuidam de seus filhos de forma equivocada e daqui a pouco pensam que são espíritos de Luz e na verdade são verdadeiros quiumbas servindo a seus assistentes, confiam em uma Tronqueira onde acham que por ela nada passa de errado, esperam tudo do “santo” e nem mesmo fazem uso de leitura, ou ainda permitem seus filhos fazerem. Infelizmente ainda temos muitos assim em nosso meio. Então viram Pais e Mães de verdadeiros quiumbas e o pior ainda dão margens para que o individuo A ou B, difame a nossa religião, pois com toda certeza não irão cuidar dos problemas desses da forma que deveria, pois não tem a noção de que estes tratamentos são longos e duradouros, fazem por lá uma oferenda em determinado local, ou apenas banho de ervas, ou ainda o uso da tuia (pólvora) e pronto o individuo está curado da obsessão, ainda se gabam que resolvem esses problemas mais rápido que nos C.E.s (Centros espíritas). Tolos, só assim podemos descrever estes Pais e Mães no Santo, tolos e ignorantes do saber, esquecem que quando estes espíritos conseguem retornar a perturbar a vitima (se é que possamos assim chamá-los) eles chegam mais irados do que antes, daí o individuo dificilmente irá retorna a aquele Terreiro, ou ainda a outro Terreiro, com sorte irá parar em um C.E. (Centro espírita), mas na maioria das vezes estes vão parar nas Igrejas, principalmente naquelas onde adoram falar da nossa Religião.

Concordo plenamente com Doutrina espírita, estes precisam ser orientados, precisam serem educados espiritualmente e moralmente, precisam conhecer a si próprio e conviver, conhecer e entender que o maior culpado é ele mesmo, que deve deixar fluir em sua vida o amor incondicional, aprender o que realmente é a Palavra do Cristo Jesus. Pais, Mães, Filhos no Santo a Doutrina espírita não nasceu para uma Religião e sim para a humanidade, não quer dizer que o seu uso o irá transformar em um “espírita Kardecista” (eu não gosto de escrever este termo, pois o nome correto é espírita, mas infelizmente assim tenho que fazer para o entendimento), a Doutrina nasceu para todas as Religiões.

2 – Classificação da Obsessão

Allan Kardec, através dos seus estudos classificou a obsessão por seus estágios, sendo que por isso mesmo, não tem um caráter definitivo, servindo apenas como parâmetro para estudo, uma vez que a obsessão é muito variada em seus aspectos, sendo difícil estabelecer onde uma fase começa e termina a outra.

SIMPLES – É a influência sutil na atitude do espírito, encarnado ou desencarnado.

FASCINAÇÃO – É a ação direta de um espírito sobre o pensamento de outro.

SUBJUGAÇÃO – É a paralisação através da ação mental, que um espírito determina sobre a vontade de outro.

Povo de Aruanda – Concordo que não há mesmo um caráter definitivo, cada obsessão é diferente da outra.

Participantes:

Encarnado para encarnado

Desencarnado para desencarnado

Encarnado para desencarnado

Desencarnado para encarnado

Auto – Obsessão

Povo de Aruanda – Aqui eles não explicaram cada um, mas irei tentar falar a respeito dentro das minhas limitações.

ENCARNADO PARA ENCARNADO

Nada mais é que pessoa obsidiando pessoa, este com toda certeza é em grande número, estranhamente para uns e normal a outros é entender que existe esse tipo de obsessão, percebam que entre nós há indivíduos que são verdadeiros obsessores, que dominam outros indivíduos com sua a capacidade mental.

Ainda não acreditam? Então o que diria vocês se eu afirmasse que este processo obsessivo é o mesmo ciúme, inveja, paixão, desejo de poder, orgulho, ódio que vemos em diversos indivíduos?

A sutilidade é tamanha que a vitima até pensa estar sendo amada ou protegida.

Vocês já perceberam aqueles amores possessíveis, que um tenta comandar toda a vontade do outro, onde o outro nem mesmo pode respirar que lá estará sendo cobrado pelo companheiro(a), sufocando a liberdade do outro, obsidiando totalmente a sua vitima.

É mais este vai mais um pouco além, os pais que querem governar os filhos, não o permitindo viver sua vida livremente, pois os espíritos aqui estão para serem livre, dentro da normas de uma sociedade e das normas de Deus, mas mesmo assim alguns Pais ainda cerceiam os filhos, podemos aqui ainda salientar os Pais e Mães no Santo que acham que tem total controle de seus filhos no Santo, esquecem esses que estão obsidiando os coitados.

Ainda estes chegam de via de fato por uma paixão não correspondida e totalmente desiquilibrado emocionalmente, pode tirar a própria vida ou ainda assassinar ou mutilar sua vitima.

DESENCARNADO PARA DESENCARNADO

Facil saber que tipo é este, ou seja, espíritos que obsidiam espíritos, poderemos perceber em muitos livros romanceados da Umbanda que nos revelam tais fatos, em o Guardião da Meia Noite do Rubens Saraceni há um grande exemplo desse tipo de obsessão, infelizmente a obsessão acontece aqui em Terra como no Plano Espiritual inferior também, muitos esquecem que há no Plano Espiritual, uma verdadeira guerra e que este se subdivide em superior e inferior ou luz e treva como outros preferem falar e ainda esquecem que os espíritos carragam consigo os seus vicios, paixões, conquistas, esperiências e apenas por este fato há no além-tumulo obsessões entre espíritos.

Eu quero deixar claro que aqui eu quero apenas fazer comentários, mas seria de bom exemplo lerem o livro que mencionei que mesmo que seja uma visão romanceada ele irá ajudar muito a entender a obsessão, volto a repetir leiam o livro Guardião da Meia Noite que alguns poderão até se assustar, mas acredito que o Rubens Saraceni, no livro ainda pegou leve, outro livro do mesmo autor que fala de forma romanceada, mas traz ensinamentos da obsessão é o Cavaleiro da Estrela Guia

ENCARNADO PARA DESENCARNADO

Esta aqui muitos achama até mesmo não acontecer, mas podemos olhar nossos umbigos e iremos perceber que o Umbandista em seu inicio de desenvolvimento (muitos dirão eu não, eu nunca fiz isso) é na verdade um obsessor para com os guias, falam deles o tempo todo, tudo recorre ao mesmo, mas tudo isso é entendido e controlado pelo próprios guias, mas muitos estrapolam e chegam as raias da obsessão e até da loucura, eu já vi muitos assistentes, médiuns assim infelizmente, ou seja, são verdadeiros obsessores.

Mas vamos ao que mais acontece realmente neste tipo de obsessão, que é quando perdemos um ente querido ficamos fixando nossos pensamentos no mesmo, mas nem sempre este pensamentos são benéficos a nossos entes queridos, a dor, a revolta, paixões e até sentimento de raivas, remorso e desequilibrio com toda certeza irá prejudicar muito o recem desencarnado.

Quando envolve dinheiro, terras, bens de um modo geral, ou seja, quando o desencarnado não deixa pronto um testamento, ou ainda em vida faz a partilha de seus bens de acordo com a vontade geral, isso pesa mais ainda para o coitado, as disputas de heranças irão afetá-lo muito, será para este recém desencarnado um verdadeiro martirio o que irá atrasar e muito sua caminhada espiritual e sua evolução.

DESENCARNADO PARA ENCARNADO

Muitos podem até afirmarem que esta é uma ação maléfica de um espírito sobre um encarnado, mas esquecem que muitos espíritos nem mesmo sabem que suas ações podem estar prejudicando o encarnado, então devemos estudar um pouco mais sobre os espíritos e suas ações para podermos entender um pouco melhor a respeito do assunto. Os médiuns são sabedores que os espíritos se aproximam de nós por afinidades, então para um espirito aproximar de nós não é tão dificil, pelo contrário é o que mais acontece e este pode não saber que suas vibrações poderão causar dano a determinado individuo.

Quanto aos marginais do astral inferior, isso a Doutrina Espírita explica muito bem e aqui no inicio deste texto já algumas esplicações a respeito.

AUTO – OBSESSÃO

Em Obras Póstumas (Allan Kardec, Primeira Parte, “Manifestações dos Espíritos”, Item 58, 17.a cd. FEB ) diz assim: “O homem não raramente é o obsessor de si mesmo”, é o que assevera o Codificador. Interessante que muitos Umbandistas preferem colocar a culpa nos espíritos do que em sí próprio Allan Kardec ainda explica: “Alguns estados doentios e certas aberrações que se lançam à conta de uma causa oculta, deri¬vam do Espírito do próprio indivíduo.”

Infelizmente podemos chamá-los de doentes do espírito, são obsessores de si mesmos, vivem de algo que não conseguem se livrar, corroem-se de seus matirios passados e arrumam outros atuais para lhe corroerem futuramente, são inimigos de sí próprios, estes não só precisam de ajuda espiritual e sim de ajuda de um profissional da area psiquica, são atormentados por si próprio, são doentes imaginários. Abrem um grande campo para que espíritos maléficos possam intervir em seu dia-a-dia, abram a guarda para os mesmos, então conciliando a auto obsessão, junto a obsessão desses infelizes espíritos, estes individuos chegam as raias da loucura, um perigo para si e futuramente para a sociedade. Esta obsessão é muito comum entre nós e devemos nos preocupar muito com a mesma, de dificil cura e que é preciso de muito tempo de estudo, oração e principalmente de amor próprio e a Deus.

UMA HISTÓRIA

Tempos atrás eu conheci uma pessoa que sofria de uma obsessão assim, um ex namorado havia tirado a vida por um possível “amor” que ela não sentia e sim ele, daí ele não teve a coragem de tirar a vida dela, mas tirou a dele e sinceramente era algo triste de se ver, a menina muito bonita e não conseguia de forma alguma manter um namoro ou relacionamento, mas esta pessoa era Umbandista e achava que tudo poderia ser resolvido e pronto, sem qualquer reforma intima, estudo, orações, ainda xingava muito o espírito que a atormentava, achava que daquela forma poderia afastá-lo, sempre tomando os banhos, fazia algumas oferendas, até mesmo giras especiais para cuidar do problema dela, uso de tuia (pólvora) perderam a conta, até nos conhecermos e eu explicar a ela o que acontecia, que sempre ele, o espírito, voltava com mais força e com tampo abrandava, aquela obsessão até parecia uma verdadeira possessão, ela ficou assustada porque eu nem mesmo a conhecia e já falava tudo que estava acontecendo, sem nem mesmo estas “incorporado”, ela ainda afirmou que no terreiro levaram algum tempo para saberem sobre a obsessão e até então nunca haviam falado do porque do retorno daquele espírito.

Ela conseguiu falar com o espírito que se diz ter sido Cigano em vida que trabalha com este médium, então ele confirmou tudo o que eu havia falado e pediu a ela que mudasse seus sentimentos para com aquele espírito e quando ela conseguisse mudar os sentimentos iria mudar a ação do mesmo, ela disse que não iria conseguir, então como o Cigano disse Pai Benedito de Aruanda também afirmou, começou ela mesmo a se interessar a mudar seus sentimentos para com aquele espírito que a atormentava, não entendia o porque de uma obsessão tão rápida, então foi explicada por Pai Benedito de Aruanda que aquela obsessão já vinha da carne e antes da carne já havia tido eles um contato anterior em vidas passadas que de forma alguma valeria relembrar. disse apenas que se ela não fizesse uma força ele não poderia ajudá-la, insistiu ainda que ela fizesse uso do estudo sobre a mediunidade, espíritos e espiritualidade, para poder entender o que estava havendo com ela, então ela deixou o terreiro que estava e começou a visitar no inicio a irdes no terreiro que eu era filho e sempre a conversar com Ela começou a entender o porquê daquele espírito a atormentá-la e reconheceu que ela mesmo havia cometido um grande erro com ele, rogou ao mesmo desculpas e afirmava que não guardava por ele qualquer rancor, o amava apenas como irmão, sempre estava em orações para iluminar a estrada daquele espírito, ela conduziu a este o amor, a caridade e compaixão.

Foram quase dois anos e hoje aquele espírito foi encaminhado a Luz a irmãzinha está casada e feliz com seu rebento de um amor sólido e coerente, onde ela é livre e deixa seu amor livre.

Não se assustem meus irmãos pelo tempo que levou esta desobsessão, mas cada caso é um caso, e neste caso foi preciso de quase dois anos, a bem da verdade lendo o relato, vocês irão perceber que ela nutria um sentimento de raiva para com o referido espírito, então foi ela que não conseguiu livrar-se deste sentimento antes dos referidos dois anos.

3 – Fatores que levam à Obsessão:

O que predispõe um espírito (encarnado ou desencarnado) à Obsessão, são as imperfeições morais. Na medida que o espírito se aperfeiçoa moralmente, ele não se predispõe à obsessão.

4 – Quando podemos reconhecer a Obsessão:

Quando sentimos idéias torturantes a se fixar.

Quando sentimos forças interferindo no processo mental.

Quando se verifica a vontade sendo dominada.

Quando se experimenta inquietação constante.

Quando se sinta desequilíbrio espiritual.

5 – Acessos à Obsessão:

Idéias profundamente negativas

Depressão / Desânimo

Revolta

Medo

Irritação / Cólera

Vícios / fumo / tóxicos / álcool

Desregramento sexual

Maledicência

Ciúme

Avareza/Egoísmo

Ociosidade

Remorso

Povo de Aruanda – Vou deixar claro que há outros itens para identificar uma obsessão, acima colocaram apenas o principal, mas irei citar uma que muito vemos nos Terreiros de Umbanda que é o orgulho e a vaidade em exagero pode ser um identificador de uma obsessão.

6 – Processo Obsessivo:

O que rege o processo obsessivo é o atendimento à “lei de sintonia”, que é a predisposição de atração recíproca, através da emissão e recepção de ondas mentais. A obsessão prolongada pode causar:

Desordens patológicas (doenças)

Loucura

Morte Física

Povo de Aruanda – Concordo plenamente

7 – Obsessor e Obsediado:

O estudo da obsessão tem levado à compreensão de que as criaturas encontram-se na grande maioria envolvidas por conflitos do passado.

São enfermos que reclamam tratamento à luz do esclarecimento, pois somente através do perdão das partes envolvidas, poderá desmanchar os liames doentios que os prendem. É preciso notar que os laços são modificados, nunca rompidos. Onde há ódio, passará a haver compreensão, entendimento, paciência. Em benefício desse objetivo deixarão pelo menos, de prejudicarem um ao outro, ganhando com isso, equilíbrio, que os conduzirão ao respeito e futuramente ao perdão total dos compromissos. Fazendo-os continuarem ligados, mas agora unidos pelos ideais de ajuda e quites com a justiça divina.

O Obsessor que guarda hoje sentimento de revolta e vingança, é alguém carente de amor e compreensão.

Povo de Aruanda – aqui está a explicação da história que trouxe a vocês logo acima, com toda certeza poderão obsessor e obsediado caminharem na mesma estrada, lembro que logo assim que cheguei na Umbanda o mentor espiritual da Casa que eu era filho, disse-me que andava comigo 5 Eguns (espíritos desencarnados) dois ele iria afastar de mim e os outros três ele achava que não deveria assim o fazer, eu fiquei muito intrigado com aquele fato, então recebi uma verdadeira aula de amor e caridade e entendi que aqueles eguns não iriam me prejudicar e o mentor foi mais além, disse que um deles ainda iria trabalhar comigo na Umbanda e de fato ele tinha toda razão, ainda não trabalho com ele, mas sinto que a hora é chegada, estes três mais trabalham como meus defensores do que como obsessor, a mania que Pais e Mães no Santo tem de dizer que tem que tirar este ou aquele obsessor é que me preocupa, pois esquecem estes que os obsessores são espíritos que atrapalham o ser, mas nem todos que chegam nesta qualidade querem prejudicar o individuo, falta ao obsessor e ao obsediado apenas explicações, estudo, amor, caridade e orações.

8 – Desobsessão:

No sentido amplo da palavra significa o ato de curar alguém da obsessão.

A cura espírita da obsessão baseia-se na conscientização do enfermo e do espírito agressor, posto que o paciente, é o agente da própria cura.

Para isso a Doutrina propõe:

O esclarecimento através do estudo

Renovação interior por intermédio da ação do pensamento e da vontade.

9 – Como evitá-la:

( Conheça a ti mesmo)

Através do exercício constante da análise de si mesmo, o ser humano passa a se conhecer, colocando parâmetros entre o que pode e o que não pode realizar. Com isso passa a perceber as induções mentais que não se coadunam com seu modo natural de ser. Quando se conhece, se vigia, não aceitando idéias diferentes das suas. Vivendo de acordo com o preceito de Jesus; “Orai e vigiai, para não cairdes em tentação” Paulo de Tarso diz: “Tudo me é possível, mas nem tudo me é permitido”. Nos alerta através dessas palavras que tudo podemos fazer com o nosso livre arbítrio, mas nem tudo que fazemos se reverterá em nosso proveito espiritual. A sabedoria do espírito é saber discernir entre o que traz felicidade momentânea ou a felicidade eterna. A opção da escolha é sua, não podendo a ninguém imputar culpa posterior.

Povo de Aruanda – Concordo plenamente

10 – A família perante o enfermo:

Há que se destacar que no processo desobsessivo, a família assume papel preponderante, podendo colaborar sobremaneira para que o tratamento da equipe de desobssessão surta o efeito esperado.

Ela, na maioria das vezes é a mais afetada pelo problema, não sabendo como proceder com o enfermo.

Por esse motivo são feitas as seguintes recomendações à família:

Paciência com o enfermo;

Ausência de curiosidade sobre o obsessor;

Não atribuir-lhe (ao obsessor) os acontecimentos desastrosos que os visitem;

Não ter repulsa aos perseguidores;

Não desejar que eles (os perseguidores) sofram o reverso da medalha;

Esperar, sem pressa;

Confiar no tratamento dos bons espíritos;

Não buscar meios violentos ou aparentemente rápidos para desalojar o obsessor;

Orar sinceramente em favor do perseguidor.

11 – A desobsessão no Centro Espírita:

O Centro Espírita é a peça fundamental para o tratamento da obsessão. Para isso deve dispor de equipe experiente para proceder a recepção e o diálogo com os obsessores.

O seu ambiente é impregnado de fluidos salutares que influi positivamente na reforma moral tanto do desencarnado como do encarnado.

Mantendo reuniões evangélicas ou cursos doutrinários para onde devem ser encaminhados os necessitados encarnados. Também trazidos pelo plano espiritual que assiste a casa, os desencarnados envolvidos no processo receberão esclarecimentos.

Assim ambos terão bases sólidas para mudarem hábitos e atitudes, condicionando- se a atitudes mentais mais saudáveis.

12 – A equipe

Deverá ser constituída de pessoas totalmente empenhadas no trabalho, para isso superando todos os obstáculos. Com bases doutrinárias sólidas, não se deixaram abater por impedimentos nem da vida social, nem também ligado a querelas do personalismo, nem tampouco os causados por influências espirituais no decorrer do trabalho.

O ideal é que a equipe seja pequena, porque isso favorece a harmonia entre os seus integrantes, mas esse fato não impede uma equipe grande, desde que se tenha um clima de respeito e fraterno entre todos.

A equipe deverá ser constituída por:

Dirigente

Médiuns de Incorporação Doutrinadores

Médiuns de Sustentação

Todo o êxito da reunião dependerá da equipe, que se não encarar com seriedade o trabalho, poderá sim atrair muitos problemas para si. Com claros prejuízos a todos.

Por isso enumeramos alguns requisitos básicos para se fazer parte de uma dessas equipes:

Interesse pelo estudo

Disciplina

Pontualidade

Assiduidade

Vivência com os postulados Cristãos

Fraternidade

Amor pelo semelhante, etc.

Povo de Aruanda – Acima (item 11 e 12)é como acontece em um Centro Espírita que pode e deve ser adaptado para o Terreiro, com o uso da Doutrina Espírita e explicações da mesma, isso deveria continuo nos Terreiros e não só quando houver um obsediado, mas infelizmente não é assim que acontece.

13 – Escala Espírita:

A classificação dos espíritos funda-se no seu grau de desenvolvimento, nas qualidades por eles adquiridas e nas imperfeições das quais ainda não se livraram. Esta classificação nada tem de absoluta. Neste parâmetro Kardec classificou os espíritos em 3 (três) ordens.

a) PRIMEIRA ORDEM – ESPÍRITOS PUROS

Caracteres Gerais – Predominância do espírito sobre a matéria; superioridade intelectual e moral absoluta.

Classe Única – Espíritos que percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria.

b) SEGUNDA ORDEM / ESPÍRITOS BONS

Caracteres Gerais – Predominância do espírito sobre a matéria, desejo do bem.

Quatro Classes:

Espíritos Benévolos;

Espíritos Sábios;

Espíritos Prudentes;

Espíritos Superiores

c) TERCEIRA ORDEM / ESPÍRITOS IMPERFEITOS

Caracteres Gerais – Predominância da matéria sobre o espírito, propensão ao mal.

Cinco Classes:

Espíritos Impuros;

Espíritos Levianos;

Espíritos pseudo-sábios;

Espíritos Neutros;

Espíritos Batedores e Perturbadores.

NOTA: Enquanto o homem não incorporar em seu comportamento e hábitos as lições de Jesus, a obsessão continuará a existir no meio humano. Com ela, resgatamos os erros do passado, e aprendemos a modificar o nosso relacionamento humano para melhor. Quando superarmos a maldade em nossos corações, saberemos respeitar os direitos do próximo, e a nossa querida terra não mais será habitat de espíritos vingativos e dominadores, que serão banidos por falta de sintonia, da psicosfera. Teremos nos libertado do mal, caminhando rápido para a era do espírito.

Por isso, a vivência das palavras do Cristo, assume caráter imediato e imperativo, para felicidade nossa e do nosso mundo.

Povo de Aruanda – Comentários finais – Finais apenas neste texto, pois este assunto dá para escrever diversos livros e ainda assim não conseguirmos findar o assunto, com os estudos eu fui percebendo que somos vitimas de nossos próprios pensamentos, ou seja, de nosso mental, já sabemos que os espíritos aproximam de nós por afinidades, por vibrações mentais e outros, mas na maioria das vezes é pelas vibrações mentais e se vibrarmos de modo A teremos ao nosso redor espíritos que são atraídos pela vibração A, se vibrarmos de modo B teremos ao nosso redor espíritos que são atraídos pela vibração B e assim sucessivamente. Nenhum Guia de Umbanda poderá ajudar um individuo sozinho, ele irá depender do individuo para poder ajudá-lo a ajudar, na história que contei acima isso fica muito nítido e o tempo só irá depender do individuo, como disse no final da história muitos podem pensar que 2 anos é muito, mas acho que foi pouco, a pessoa pode passar por esta encarnação sem ao menos conseguir nutrir por outrem amor, compaixão, isso é o que mais encontrarmos por aí.

O amor, compaixão, estudo e a reforma intima são os remédios para a obsessão, o difícil é o individuo aceitar ou entender que está obsediado, na Umbanda não é comum falarmos com os espíritos obsessores, mas já vi muitos Terreiros assim agirem nas seções de desobsessão, ou seja, o mesmo trabalho que é feito nos C.E.s. Também vi trabalhos de desobsessão com Exus que mais parecia de expulsão e não desobsessão, isso também é alarmante pois estes espíritos (Exus) não estão preparados para trabalhar com desobsessão e sim expulsão, melhor para isso seria os Pretos Velhos que iria orientá-los e orientar também o individuo obsediado.

O Exus fazem o que sabem fazer o erro não são deles e sim de quem decidiu que eles que irão fazer tais trabalhos, então eles agem da forma que sabem, mas sabem que estes espíritos irão retornar a oportunar os indivíduos, e irão voltar ainda mais descontrolados que antes, então tem que haver dentro do terreiro o entendimento que eles precisam do estudo da Doutrina Espírita e realizar o que nela explica, assim terão filhos com mais conhecimento da espiritualidade e preparados para esta grande batalha que é a desobsessão e levar o individuo a reforma intima.

Bibliografia:

Apostila de “Obsessão e Desobssessão” – Milton Felipelli e Rubens P. Meira.

Nos Bastidores da Obssessão – Hermínio C. Miranda

Diálogo com as Sombras – Hermínio C. Miranda

Ação e Reação – André Luiz

Missionários da luz – André Luiz

Vampirismo – Herculano Pires Hermínio C. Miranda

O Evangelho Segundo o EspiritismoAllan Kardec

O Livro dos Médiuns – Allan Kardec

O Livro dos EspíritosAllan Kardec

By Grupo Espírita Rio de Luz

Comentários (em azul) : Alex de Oxossi – Rio Bonito – RJ

Comentário (em verde): Acredito que seja da irmã Ângela Garcia

Sobre Administrador

Eu tento fazer a minha parte para poder divulgar a minha Religião.
Esse post foi publicado em UMBANDA e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s