A POTÊNCIA CURADORA DO “CANTO DOS CRISTAIS”

Paula Salotti

Energeticamente nos alimentamos de vibrações que, quando percebidas pela visão, chamamos de cores, e, pela audição, de sons. Existem diversos meios para produzirmos esses alimentos energéticos: nos trabalhos da cromoterapia com a aplicação das luzes coloridas, na visualização ou na audição de sons especiais. Mas dentro do campo energético, um meio rápido e eficaz de atingirmos o equilíbrio é através do trabalho com os cristais. Os cristais trabalham ativando e amplificando; por isso, sentimos que toda atividade feita com eles nos proporciona um resultado mais rápido. Eles podem e devem ser nossos companheiros em toda prática de cura ou meditação, e assim perceberemos que os estados que atingimos em uma meditação com cristais são absolutamente diferentes daqueles obtidos sem eles. Isso ocorre em trabalhos de cura, imposição de mãos e na aplicação da cromoterapia, onde aceleramos o efeito da atuação da cor ao utilizar uma ponta de cristal no bastão cromoterápico.

Hoje em dia, até os cientistas já consideram os cristais como “seres vivos”, visto que o que define um ser vivo é sua capacidade de interagir com o ambiente – e é exatamente o que todo cristal faz: absorve energia, armazena e devolve essa energia alterada. Cada vez mais os cristais se tornam ferramentas indispensáveis no processo da cura por meios alternativos.

Apenas o ato de olhar para um cristal já nos faz bem, nos deixa mais felizes. Mesmo os mais céticos não resistem ao encanto e beleza de uma pedra cristalina, sendo tocados e muitas vezes transformados pela sua magia, mesmo que a atração seja meramente visual. As sensações agradáveis que sentimos ao olhar para um cristal ocorrem devido à imagem de perfeição que temos a nossa frente! Os cristais possuem a estrutura molecular mais harmônica da natureza, e subjetivamente sentimos ao contemplar um cristal esta idéia de perfeição, como se nos lembrássemos que estamos aqui para sermos perfeitos, felizes e iluminados.

A cada dia os cristais se apresentam de formas diferentes e o seu uso vai se tornando mais elaborado. Mesmo aqueles que não trabalham com a energia dos cristais, acabam fazendo uso de suas propriedades, que estão presentes na tecnologia: os chips de computador, os relógios, as telas de cristal líquido, instrumentos cirúrgicos e até o tão falado silicone! Mas podemos encontrar meios de uso que nos beneficiam ainda mais, extraindo dos cristais todo seu poder latente. Imagine que cada cristal é uma semente, que possui todo um potencial em seu interior, mas para que o seu desenvolvimento aconteça, precisa de condições adequadas – ser plantada, regada, aquecida. Assim é nosso trabalho com cristais. Apesar de sentirmos um poderoso efeito mesmo quando fazemos o chamado uso passivo – que significa apenas termos um cristal perto de nós – podemos ir além e fazer nosso cristal brotar e desabrochar, acessando com isso uma fonte inesgotável de energia e poder. Para isso, existem técnicas que aliam a respiração e visualização às diversas formas cristalinas, e, atualmente, estamos redescobrindo o poder do som emanado dos quartzos.

AS TIGELAS DE CRISTAL

As tigelas de cristal (crystal bowls) começaram, ou melhor, voltaram a ser utilizadas a alguns anos no trabalho terapêutico e nas práticas de meditação. Os seus usuários logo perceberam o efeito do equilíbrio energético produzido pelos sons que delas emanam.

O tom puro e contínuo sempre foi buscado em diversas culturas nas suas práticas sagradas. Há milhares de anos as civilizações do Oriente já faziam uso de sons específicos nos rituais. Também encontramos registros dessas práticas entre os aborígines australianos e os índios americanos, que já utilizavam o som para reforçar suas práticas mágicas e cerimônias sagradas, assim como para obter a cura, ajustando qualquer desequilíbrio espiritual, emocional ou físico. Os sacerdotes do antigo Egito souberam usar sons vocálicos para ativar os centros de energia ou chakras. O profeta Edgar Cayce, em várias de suas leituras, falou sobre a cura através dos tons puros que começariam a surgir no final do século XX, assim como Nostradamus predisse a cura de doenças pelo poder dos sons por volta de 1998. Encontramos o som contínuo nos cantos poderosos dos monges tibetanos e nos sinos, gongos e carrilhões utilizados para esse propósito. Só que o tom puro e contínuo é muito difícil de ser obtido, daí que surge o poder canto dos cristais, obtido de suas tigelas. Como elas são feitas de um puríssimo cristal, conseguem emitir a desejada nota pura e contínua quando tocadas com um bastão, produzindo o que chamamos de sons circulares. De fato, todos os que ouvem os sons cristalinos sentem que são envolvidos por ondas de energia espiraladas.

Cada tigela possui um tamanho, o que produz freqüências sonoras diferentes, e são testadas com uma tecnologia digital para que o seu som seja identificado. Cada pessoa terá uma sensação de qual tom mais necessita em determinado momento, já que cada nota ou tom obtido através das tigelas de cristal possui um tipo de atuação: algumas notas nos ajudam no restabelecimento físico; já outras trazem uma rápida eliminação de stress, enquanto outras nos levam a viagens interdimensionais!

A grande inspiração para o uso das tigelas de cristal vem da antiga Atlântida, civilização que combinou o poder do som com o poder do cristal.

SONS, CORES E CHAKRAS

Sabemos que todo som produz uma cor. Há um vínculo direto entre as diferentes partes do corpo e os sons, que, usados em conjunto com as cores, possuem um efeito direto nos centros de energia dos corpos sutis. Cada um dos centros de energia ou chakra está associado a um tom específico da escala musical e a uma cor específica, e o desequilíbrio surge quando há uma carência ou excesso desse som ou dessa cor. Por isso os sons cristalinos são formas de medicamentos vibracionais, validando a idéia de que tudo no universo está em um estado de vibração.

A freqüência na qual um objeto ou uma pessoa vibram naturalmente é chamada de ressonância. O chakras, ossos, e órgãos do corpo possuem freqüências ressonantes diferentes. Quando um órgão ou alguma parte do corpo possui uma vibração desafinada ou desarmônica, passa a ser classificado de “doente”. Um corpo está em um estado saudável quando cada célula e cada órgão criam uma ressonância harmônica com todo o ser. Quando há um bloqueio, o órgão em questão deixa de vibrar numa freqüência saudável, resultando em algum tipo de enfermidade; mas, com a atuação do som e da luz, podem-se dissolver estes bloqueios, que têm origem no corpo etérico.

Assim como desbloqueamos energias e atingimos um agradável estado de relaxamento com massagens no corpo físico, podemos massagear nossos corpos sutis com o uso dos sons cristalinos, obtendo níveis de relaxamento nunca antes experimentados. Esse sons não são ouvidos somente pelo ouvido, mas por todo o corpo, que passa a vibrar naquela freqüência.

Usamos o canto dos cristais para produzir um campo vibratório desejado. A utilização das freqüências corretas dessas vibrações pode mudar totalmente nosso estado físico e sutil, nos conduzindo a estados alterados de consciência onde podemos obter desde um profundo relaxamento até fantásticas percepções extra-físicas. Isso ocorre devido a perfeita coerência produzida pelos sons cristalinos. Os hemisférios cerebrais passam a atuar em perfeita sincronia, gerando um alinhamento energético que é sentido instantaneamente. Como conseqüência desse alinhamento, temos toda nossa consciência expandida. Foi descoberto que os padrões de ondas geradas pelo canto dos cristais é equivalente às ondas ‘alfa’ produzidas pelo cérebro nos estados de relaxamento profundo.

As freqüências vibratórias obtidas com os sons cristalinos harmonizam o nosso ser acelerando todos os processos de reposição energética, trazendo como conseqüência mais saúde, vitalidade e equilíbrio. A memória celular é ativada e temos acesso ao nosso reservatório de experiências e conhecimentos. Quando aceleramos nossa freqüência vibratória, ultrapassamos as fronteiras do tempo e do espaço, ampliando os campos da percepção e aprendizado.

É comum sentirmos muita sede após uma sessão de cura cristalina. Beber bastante água ou tomar banhos é essencial para extrairmos o benefício máximo da atuação da energia. A água compõe 87% do corpo humano e é o meio pelo qual a pureza do “som-luz-vibração” são transmitidas às nossas células, facilitando a liberação das toxinas pela ação purificadora do cristal.

Os sons cristalinos podem ser utilizados na meditação, para harmonização de ambientes e para ativação de cristais e objetos de poder.

Sobre Administrador

Eu tento fazer a minha parte para poder divulgar a minha Religião.
Esse post foi publicado em ESPIRITUALIDADE e marcado . Guardar link permanente.