SERÁ QUE DEUS É O DEUS DA SEGUNDA CHANCE?

exu-5.jpg

Um médium muito bem financeiramente, jamais por qualquer dinheiro, ou convite social deixava de fazer seus atendimentos espirituais no terreiro em que freqüentava, muitas vezes debaixo de temporal, assistência com poucas pessoas, mas lá ele estava, não importava-se se atenderia poucas, muitas ou nenhum consulente, fazia por amor, por caridade mesmo, além de ajudar materialmente muitas instituições de caridade, o seu hobby, digamos assim, era vestir o branco e ir para o terreiro.

Procurava não falar muito de sua vida pessoal e de suas posses financeiras, sequer usava um chapéu de baiano, ou uma capa de Exú, nem pensar, discrição era sua marca registrada.
Porém muitos sabiam de sua riqueza material, e este bom homem, mesmo querendo não ser notado, pedia que o Cambone sempre anotasse o endereço do consulente, principalmente aqueles que sentiam fome, falta de dinheiro para comprar remédios, e no outro dia mandava sem identificar-se o que o consulente precisava. Todos diziam é um anjo que bateu em minha porta, na verdade o Cambone era quem administrava tudo, jamais o Cambone aparecia, ele mandava os empregados deste médium fazerem estas ajudas, mas sempre com total discrição.

Bom como disse muitos no terreiro infelizmente sabiam disto, como ninguém sabe, mas muitos sabiam.

Por inveja e falta de capacidade alguns médiuns fizeram trabalhos malignos e este médium ficou sabendo disto, pois ele tinha Entidades nas quais lhe repassavam por intuição tudo ou quase tudo. Mas ao invés de sentir ódio, teve pena, pois nunca quis aparecer, sempre foi discreto, e pensou: poxa como ajudar é difícil.

E assim a vida foi seguindo com seus próprios planos, mas coisas começaram a acontecer; primeiro sua esposa lhe traiu com um gerente de banco; segundo aquele divorcio muito, mas muito bem tramado pelo gerente que conhecia todas as aplicações daquele médium, certo que a ex-esposa por estar casada em regime de comunhão de bens, ficou com exatamente metade de todos os bens, pois a maior riqueza adquirida por este médium foi após ter se casado, com muito trabalho e dedicação. Claro que a esposa teve papel importante neste crescimento, mas não tanto quando aquele médium.

A vida continuou este médium perdeu se norte, pois junto com a ex-esposa foi também seu filhinho que tanto amava, a partir de agora teria dia e hora para ver o próprio filho, aquilo era angustiante para ele, e ai ele começou a questionar Deus.

Abandonou seus trabalhos no terreiro, assumiu agora sua condição de homem de posses, e começou a ter uma vida desregrada, e gastou com futilidades, mulheres, amigos entre aspas, sua vida se modificou, e com isto começou a cavar um buraco ao seu redor, um buraco sem fim.

Pronto estava feito o que aqueles médiuns invejosos fizeram, o trabalho pegou, pois o médium baixou totalmente sua guarda espiritual, virou um trapo humano, perdeu tudo que tinha materialmente, perdeu sua moral, nem seu ex-pai de santo queria vê-lo, afinal tornará vergonha na cidade, um mendigo, um pedinte, um nada.

Mas a vida é sábia e os desígnios de Deus muito mais, certo feito este ex-médium cheio de posses cansado de tanto sofrer, de esmolar um pedaço de pão, ergueu seus olhos aos céus e gritou Deus me ajude, eu não sou isto!!!!

Um dos moradores da cidade encontrou aquele médium e o reconheceu, meu amigo você não era médium da casa do pai “x”, e ele me respondeu: era meu irmão, mas todos me viraram as costas depois que cai em desgraça e na vida mundana que levo não agüento mais, quero voltar a ser um milésimo do que eu era, e falou: será que Deus é o Deus da segunda chance?

– Hei amigo, sou médium também, hoje trabalho no Cento “y”, por acaso não me reconhece?

O ex – médium falou:

– não.

O médium disse:
– Eu era seu Cambone e seu empregado, eu era quem administrava todos seus feitos com a discrição que o Senhor sempre me pedia, mas depois de sua separação o Senhor sumiu, a fábrica faliu, todos empregados foram dispensados e quem assumiu foi sua ex-esposa e o gerente do Banco, o Senhor. deve estar com muito ódio, mesmo porque no centro que trabalhávamos vários médiuns conspiravam contra ti, lembra meu amigo?

– Lembro sim, mas tenho ódio de ninguém, apenas quero uma segunda chance, será que Deus é o Deus da segunda chance? – Voltou a perguntar ao ex-empregado e Cambone.

– Olha – disse o Cambone – se é da segunda chance eu não sei, mas que não abandona seus filhos isto eu sei, pois quando fui dispensado da sua ex-empresa, passei fome, passei frio, mas alguns me ajudaram e hoje estou aqui e vou te ajudar, o Senhor permite que um ex-empregado seu lhe ajude?

– Claro – disse o ex – médium – não tenho nada na vida, nem fé, mas será que Deus é o Deus da segunda chance? – O ex – empregado e Cambone pensou, poxa parece que ele ficou louco, falo e ele só diz: Será que Deus é o Deus da segunda chance?

Este ex Cambone, ex-empregado o levou para sua casa, a esposa do ex – Cambone olhou torto e disse:

– Homem tu ficou louco quem é este mendigo que trazes dentro de nossa casa?

– Mulher este homem era meu ex-patrão, ajudou muita gente, mas um dia caiu, vamos ajudar, vamos?

A mulher falou:

– É vamos né, sempre é tudo que nem você quer, então que seja assim, leve ele para dentro peça para tomar um banho, dê-lhe algumas roupas que farei um bom jantar.

E o ex – médium tomou o banho, sentou-se a mesa para o jantar e ficava só dizendo: Será que Deus é o Deus da segunda chance?

Aquilo irritava a todos, mas paciência, a mulher do ex – Cambone falou:

– Bom que ele fique aqui por esta noite de manhã ponha para fora, além de mendigo é doido.

A noite passou seis horas da manhã todos acordaram menos o médium, o ex – Cambone foi lá ao quartinho e para sua surpresa o médium estava morto, duro e o corpo já gelado.
Chamou a ambulância e levaram o pobre do mendigo, só não foi enterrado como indigente, porque o ex – Cambone sabia seu nome e conhecia sua família, bem como a ex-esposa e o atual marido que era ex-gerente do banco, aquele que deu o golpe.

É disse o Cambone

– Acho que para este Deus não é o Deus da segunda chance não, morreu na miséria material e espiritual.

Bons longos anos se passaram, a sua ex-mulher morreu assassinada, pelo ex-gerente do banco que hoje se encontra preso, todo o dinheiro acabou; o filho que a mãe mandou para a Inglaterra estudar nem no enterro da mãe compareceu e muito menos sabia que seu pai já era morto também; aqueles médiuns invejosos no terreiro, muitos haviam morrido, o pai de santo foi morto numa emboscada por traficantes da cidade, o terreiro acabou, mas o Cambone era jovem e hoje Pai no Santo de um terreiro bem simplesinho, aliás, o único que levantou a mão em ajuda ao ex-patrão.

Neste Terreiro numa gira de esquerda, o Terreiro como disse era simplesinho, mas este Pai no Santo, jamais conseguia deixar de esquecer aquelas palavras: Será que nosso Deus é o Deus da segunda chance?.. E aquilo martelava na sua cabeça, mas os trabalhos iniciavam e ele esquecia, mas naquele dia algo estava diferente, os Exús baixaram em terra, mas um médium o mais simplesinho de todos, em desenvolvimento ainda, incorporou um Exú e estava atendendo, o Pai no Santo, pensou mas quem deu ordem para aquele médium atender, ele esta em desenvolvimento ainda? E foi ver de perto o atendimento, bem discretamente, assim que acabou o atendimento, o Pai disse:

– Salve suas forças, qual seu nome Guardião?

Em que Exú responde:

– Meu nome? Não sei? Só sei que venho pela segunda chance de Deus, pelo menos é isto que passa pela minha cabeça, disse aquele Exú, o Pai (lembram ex – Cambone daquele médium), insistiu – qual seu nome Guardião?

Exú pensa e diz:

Tu queres um nome?

O Pai:

– Se puder se apresentar melhor, pois seu menino não está autorizado a dar consultas?

Exú então diz:

Meu nome é GUARDIÃO ADUGES ENAHC DE ROHNESUE

– Nossa nunca ouvir falar neste nome, disse o Pai no Santo

– Pois de agora em diante haverá de ouvir, e se me quiser aqui, pode simplificar e me chamar de MIGUEL.

O Pai no Santo de olhos arregalados também disse:

– Mas Miguel era o nome de meu ex-patrão que morreu fazem mais de 10 anos…

Exú respondeu:

– Sim, existem Falanges de Marabô, Tranca Ruas etc., nosso Deus é o Deus da segunda chance e hoje aqui neste simples Terreiro diga a todos que você tem um médium que se chama Miguel, e, é a nova Falange que se revela a todos aqueles que pedem e imploram e não tiveram em carne a segunda chance, mas Deus misericordioso sempre deu e sempre dará a segunda chance.

– Laroye- Exú, Salve ADUGES ENAHC DE ROHNESUE, disse o Pai no Santo.

Aquele Terreiro se tornou conhecido pela gira da Esquerda e pela ajuda aos famintos e miseráveis materialmente falando.

Axé

Pelo Irmão Silvio, postado na Comunidade Guerreiros de Aruanda(Orkut), 05/11/2007.

Titulo Original: SENTINDO NA PELE

Sobre Administrador

Eu tento fazer a minha parte para poder divulgar a minha Religião.
Esse post foi publicado em UMBANDA. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para SERÁ QUE DEUS É O DEUS DA SEGUNDA CHANCE?

  1. sandra disse:

    Uma historia muito simples,porém me fez chegar as lágrimas.Parabéns por ter colocado na net.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s